A razão

 
"O Papa Pio V exterminou 100.000 Anabatistas.

Na noite de 24 de agosto de 1572 ou NOITE DE SÃO BARTOLOMEU, o Papa Gregório XIII, e os jesuítas exterminaram mais de 70 mil protestrantes; sendo que para comemorar a morte dos protestantes, o papa Papa Gregório XIII mandou que as Igrejas cantassem o TE DEUN, trocassem presentes, e cunhou moedas comemorativas ao massacre.
No século XV, por cerca de 8 anos, Tomás de TORQUEMADA, que foi o grande Inquisidor dos reinos de Castela e Aragão, e o confessor da Católica Rainha Isabel, condenou a morte mais de 10.200 protestantes, intelectuais, e judeus.

Só na Espanha 31.912 não católicos foram mortos; 291.450 martirizados, e 2 milhões foram banidos!

O Monarca alemão Fernando II (1578-1637) instigado pelos jesuítas começou uma guerra de extermínio aos protestantes; essa guerra religiosa terminou em guerra política e tirou a vida de 15 milhões de pessoas!

Todavia o assassinato dos protestantes em vez de os destruir agiu como uma Adapte-se ou morra, e fez com que os sobreviventes ficassem ainda mais poderosos...

Isso explica por que no mundo atual os países de maioria protestantes são mais ricos, mais estáveis, e mais poderosos do que os países católicos... "
 
Falando de Si, Cristo disse: “Não cuideis que vim trazer a paz à Terra; não vim trazer paz, mas espada” (Mt 10:34). Príncipe da paz, era Ele não obstante causa de divisão. Aquele que veio proclamar alegres novas e promover a esperança e alegria no coração dos filhos dos homens, abriu uma controvérsia que arde profundamente e desperta intensa paixão no coração humano. E Ele adverte Seus seguidores: “No mundo tereis aflições” (Jo 16:33). “Lançarão mão de vós, e vos perseguirão, entregando-vos às sinagogas e às prisões, e conduzindo-vos à presença de reis e presidentes, por amor do Meu nome.” “E até pelos pais, e irmãos, e parentes, e amigos sereis entregues; e matarão alguns de vós” (Lc 21:12, 16). {AA 47.3}
 
Essa profecia tem sido marcadamente cumprida. Toda indignidade, toda injúria, toda crueldade que Satanás podia instigar o coração humano a imaginar, têm recaído sobre os seguidores de Jesus. E isso será de novo notadamente cumprido; pois o coração carnal está ainda em inimizade com a lei de Deus, e não se sujeitará a Seus mandamentos. O mundo não está hoje em maior harmonia com os princípios de Cristo, do que esteve no dia dos apóstolos. O mesmo ódio que motivou o clamor: “Crucifica-O! Crucifica-O!” (Lc 23:21), o mesmo ódio que levou a perseguição aos discípulos, ainda opera nos filhos da desobediência. O mesmo espírito que nos séculos escuros enviou homens e mulheres à prisão, ao exílio, e à morte; que concebeu as atrozes torturas da inquisição; que planejou e executou o massacre de São Bartolomeu e acendeu as fogueiras de Smithfield, está ainda agindo com maligna energia em corações não regenerados. A história da verdade tem sido sempre o relato da luta entre o direito e o erro. A proclamação do evangelho sempre tem sido levada avante neste mundo em face de oposição, perigos, perdas e sofrimentos. {AA 47.4}
 
Em que consistia a força daqueles que no passado sofreram perseguição por amor a Cristo? Era a união com Deus, união com o Espírito Santo, união com Cristo. A acusação e a perseguição têm separado muitos de seus amigos terrestres, mas nunca do amor de Cristo. Nunca a alma, provada pela tempestade, é mais encarecidamente amada por seu Salvador do que quando sofre a perseguição por amor à verdade. “Eu o amarei”, disse Cristo, “e Me manifestarei a ele” (Jo 14:21). Quando, por causa da verdade, o crente se acha perante os tribunais terrestres, Cristo Se acha a seu lado. Quando é encerrado entre as paredes da prisão, Cristo Se lhe manifesta e com Seu amor lhe anima o coração. Quando sofre a morte por amor a Cristo, o Salvador lhe diz: Eles podem matar o corpo, mas não podem matar a alma. “Tende bom ânimo, Eu venci o mundo” (Jo 16:33). “Não temas, porque Eu sou contigo; não te assombres, porque Eu sou teu Deus: Eu te esforço, e te ajudo, e te sustento com a destra da Minha justiça” (Is 41:10). {AA 47.5}
 
Os que confiam no Senhor serão como o Monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre. Como estão os montes à roda de Jerusalém, assim o Senhor está em volta do Seu povo desde agora e para sempre” (Sl 125:1, 2). “Libertará as suas almas do engano e da violência, e precioso será o seu sangue aos olhos dEle” (Sl 72:14). {AA 48.1}
 
O Senhor dos exércitos os amparará.” “E o Senhor seu Deus naquele dia os salvará, como ao rebanho do Seu povo; porque como as pedras de uma coroa eles serão exaltados na sua terra” (Zc 9:15, 16). {AA 48.2}

O mesmo espírito sobrenatural que instigou o massacre de São Bartolomeu, dirigiu também as cenas da Revolução(Francesa). Foi declarado ser Jesus Cristo um impostor e o grito de zombaria dos incrédulos franceses era: “Esmagai o Miserável!” querendo dizer Cristo. Blasfêmia que desafiava o Céu e abominável impiedade iam de mãos dadas, e os mais vis dentre os homens, os mais execráveis monstros de crueldade e vício, eram elevados aos mais altos postos. Em tudo isto, prestava-se suprema homenagem a Satanás, enquanto Cristo, em Seus característicos de verdade, pureza e amor abnegado, era crucificado. {GC 273.1}
 
A besta que sobe do abismo lhes fará guerra, e os vencerá, e os matará.” O poder ateísta que governou na França durante a Revolução e reinado do terror, desencadeou contra Deus e Sua santa Palavra uma guerra como jamais o testemunhara o mundo. O culto à Divindade fora abolido pela Assembléia Nacional. Bíblias eram recolhidas e publicamente queimadas com toda a manifestação de escárnio possível. A lei de Deus era calcada a pés. As instituições das Escrituras Sagradas, abolidas. O dia de repouso semanal foi posto de lado, e em seu lugar cada décimo dia era dedicado à orgia e blasfêmia. O batismo e a comunhão foram proibidos. E anúncios afixados visivelmente nos cemitérios, declaravam ser a morte um sono eterno. {GC 273.2}
 
Disseram estar o temor de Deus tão longe do princípio da sabedoria que era o princípio da loucura. Todo culto foi proibido, exceto o da liberdade e do país. O “bispo constitucional de Paris foi obrigado a desempenhar a parte principal na farsa mais impudente e escandalosa que já se levou à cena em face de uma representação nacional. ... Em plena procissão foi ele empurrado a fim de declarar à Convenção que a religião por ele ensinada durante tantos anos, era, em todo o sentido, uma peça de artimanha padresca, destituída de fundamento tanto na História como na verdade sagrada. Negou em termos solenes e explícitos a existência da Divindade a cujo culto fora consagrado, dedicando-se, para o futuro, à homenagem da liberdade, igualdade, virtude e moralidade. Depôs então sobre a mesa os paramentos episcopais, recebendo fraternal abraço do presidente da Convenção. Vários padres apóstatas seguiram o exemplo deste prelado.” — Scott. {GC 274.1}
 
E os que habitam na Terra se regozijarão sobre eles, e se alegrarão, e mandarão presentes uns aos outros; porquanto estes dois profetas tinham atormentado os que habitam sobre a Terra.” A França incrédula fizera silenciar a voz reprovadora das duas testemunhas de Deus. A Palavra da verdade jazeu morta em suas ruas, e os que odiavam as restrições e exigências da lei de Deus estavam jubilosos. Os homens publicamente desafiavam o rei dos Céus. Semelhantes aos pecadores da antiguidade, clamavam: “Como o sabe Deus? ou há conhecimentos no Altíssimo?” Salmos 73:11. {GC 274.2}
 
Com blasfema ousadia, que se diria incrível, disse um dos padres da nova ordem: “Deus, se existis, vingai Vosso nome injuriado. Eu Vos desafio! Conservais-Vos em silêncio; não ousais fazer uso de Vossos trovões. Quem depois disso crerá em Vossa existência?” — História, de Lacretelle, e História da Europa, de Alison. Que eco fiel é isto, da pergunta de Faraó: “Quem é o Senhor para que eu obedeça a Sua voz?” “Não conheço o Senhor!” {GC 274.3}


A fonte promotora é a mesma, a da revolução francesa e a do papado, apenas, satanás jogou um para enaltecer o outro, este é o objectivo para estabelecer o controle global e requerer a si o domínio.
De Cristo é dito: "foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados."(Isaías 53:5+) mas do papado está escrito: "E vi uma das suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou após a besta."(Apocalipse 13:3+). E assim procede até aos dias de hoje.
Satanás desde que induziu o homem a pecar não abdica de requerer seu trono e o intenta por todos os meios e artimanhas ao seu alcance. Para seu intento utiliza "dos falsos profetas"(Mateus 7:15+) e de todos aqueles que incitam e promovem uma vivência contrária à lei de Deus, dos quais Jesus alerta "Acautelai-vos" dos " vestidos como ovelhas mas, interiormente, são lobos devoradores." promotores de seus próprios caminhos em substituição dos de Deus. Prova disso é a legislação dada e entregue por Deus ao homem para integral cumprimento e a produzida e implementada pelo vaticano totalmente dispar da de Deus. "Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos."(Tiago 2:10+) Este é o perigo de que a lei avisa, por isso só quem Ama verdadeiramente a Deus a guarda como a menina dos seus olhos.
 
118681616_10224373121425760_630073563890390815_n.jpg, _Set 2022

 

Adicionar um comentário

O código HTML será mostrado como texto e os endereços web serão convertidos automaticamente.

Feed dos comentários desta entrada